terça-feira, 30 de novembro de 2010

ele me lembra alguém. .

Ele sentado ali com a cabeça baixa me lembrava alguém,
alguém cujo os sonhos estavam perdidos ,cuja a verdade virou mentira
ele trocou a noite pelo dia, 
eu olhava sua face e via seus olhos tão vazios de si mesmo
entediado com a sorte, entediado com a vida,
mesmo sem porque ele não conseguia entender que as pessoas ao seu redor
lhe queriam bem , mas mesmo assim  ele se culpava por não ter nenhum amigo
mas também não se permitia fazer novos amigos,
ele me lembrava alguém, alguém muito próximo de mim mesmo, eu não conseguia
identificar, seus olhos se confundiam com a direção do sol no rosto dele,
ele estava sem forças e eu queria ajudar,
mas ninguém pode ajudar alguém que não quer ser ajudado
talvez se insisti-se um pouco mas ele levantaria e diria eu consigo..
mas triste é vê-lo todos os dias assim , 
querendo perguntar se ta tudo bem mais não poder
Mais mesmo assim ele me lembrava alguém 
e esse alguém era eu...




22:43hrs

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Igual a você

"Eu sei que nós dois éramos bons amigos
Você conhecia meus medos escondidos
Eu guardava segredos proibidos
Estávamos ligados, comprometidos

Algumas vezes menti pra te proteger
Você me fez fugir quando o melhor era mesmo correr
Eu fazia você sorrir na hora exata de chorar
Você me ensinou a pedir quando eu insistia em mandar

Agora você tem novos amigos
Normal que um dia isso fosse acontecer
Só não me faça te odiar
Não me peça para esquecer
Não espere que eu seja igual a você
Igual a você"






Nenhum de Nós

domingo, 28 de novembro de 2010

Não é como nos livros.


Vivemos em um mundo estúpido e confuso. É como viver na escuridão tentando acertar o caminho sem enxergar. Ninguem tem as respostas pra tudo, mas todos continuam tentando. A unica coisa que sei, é que ninguem jamais sai ileso. Dizem que um raio normalmente não cai duas vezes no mesmo lugar. Sendo assim, per suarmos que seja uma coisa pra vida toda. E mesmo que pareça que o choque vem de novo e de novo, eventualmente a dor vai ir embora, o choque vai se dissipar. E você começa a se curar. A se recuperar de algo que nunca previu.Uma amiga bêbada uma vez me disse "você tem 5 minutos para mergulhar na tristeza profunda, aproveite, desfrute, descarte e siga em frente." Acho que só hoje entendo o que essa frase significa. Algumas coisas eu não posso entender, então deixo como estão. Já faz algum tempo que deixei de acreditar em justiça divina, salvação ou no melhor das pessoas, porque nada é como deveria ser. Não que eu não tenha fè, continuo acreditando que milagres as vezes podem acontecer, mas pra mim, se tratando desse mundo você pode me dizer que deposita toda sua fé em Deus para passar pelo dia, mas quando chega a hora de atravessar a rua, sei que olha para os dois lados. - Até chegar o dia em que tentamos ter demais vendendo fácil o que não tinha preço. Eu sei é tudo sem sentido, mas queria ter alguém com quem conversar, alguém que depois não use o que eu disse contra mim. Nada mais vai me ferir. É que eu já me acostumei com a estrada errada e com a minha própria lei (infelizmente).





p.s:a muito tempo querendo postar esse texto,porem sem tempo ate pra postar.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

"Vivo imaginando que 
de repente vão aparecer 
fadas ou gênios 
na minha frente
pra perguntar o que 
desejo".

((Caio F. Abreu))

Quando nada mais faz sentido..


Às vezes perdemos o pique, desanimamos ao ponto de parar para pensar se tudo que estamos fazendo vale à pena. Normalmente este tipo de pensamento vem à tona quando alguma coisa nos acontece. Alguma coisa não muito boa, óbvio. É aquele dia em que você só tem vontade de dormir o dia todo, não quer ver ninguém, falar então nem pensar. Acha que nunca mais vai ter vontade de escrever e que toda a sua essência mais bonita se perdeu no meio deste abismo sem volta. Amigos tentam te por pra cima, família tenta te por pra cima, mas você não consegue sair do lugar. Você grita por um acontecimento repentino bom, daqueles que te fazem acordar completamente quando está caindo de sono ou ficar sã na hora quando se está meio bêbada, mas nada acontece. Fica tentando entender o inexplicável, tentando achar respostas para afirmativas que jamais serão perguntas e clamando que tudo perdeu o sentido. E de fato perdeu, perdeu sim, perdeu o encanto. À partir daí se tem dois caminhos: O morrer em depressão achando que seu mundo acabou ou o de reconstruir sua vida, à seu modo, do seu jeito, da melhor forma contado com a força do destino que há de fazer com que depois de cada tempestade surja um sol. Ai vem a pergunta qual opção eu fico mesmo?droga...=/

sábado, 13 de novembro de 2010

Cherish

Revirando os arquivos confusos e desconexos dessa minha mente canceriana, reafirmo a importância de todos os silêncios, sorrisos e semi abraços.
Sempre são belas as nossas tardes em bancos sombreados daquela praça onde as crianças brincam enlouquecidas debaixo do sol escaldante. Apesar de não saber lidar direito com a necessidade da presença desse outro, que chega ao limite do questionamento e foge por completo do que talvez Freud ou Lacan pudessem explicar, devo dizer que muito me faz bem perceber que consegui algum tipo de conexão, pode-se assim dizer, com o teu universo, que tanto me enriquece. Talvez aqui coubesse perfeitamente um agradecimento clichê, daqueles carregados de promessas e urgências. Mas fico apenas com a demonstração implícita e talvez nem tão sutil de todo o meu estima, carinho e afeto.
Obrigada.







Depois de uma bela tarde de sabado durmindoo muito,bate a vontade de escrever...19:12

terça-feira, 2 de novembro de 2010

E o que estraga a vida??GENTE...


Eu vim com dois defeitos de fábrica: um cérebro pensante e sentimentos pulsantes. Não sei a quem culpar por esse erro, mas eu vejo, sinto, percebo, falo, escuto e, portanto, penso e tento não me enganar. O defeito não é defeituoso para mim, mas para quem se aproxima e eu até entendo as queixas, deve ser mesmo muito complicado me tolerar. Eu não sei ver uma injustiça e fingir que não vi. Eu não consigo sentir ou perceber a real intenção de alguém e seguir o jogo. Eu não consigo perceber e enlouquecer pensando que não era nada disso, não sou capaz de me iludir para tornar real a ilusão preguiçosa de alguém. E isso incomoda. Eu incomodo. Incomodo, como me incomoda o mundo em que vivemos. Mundo que, às vezes, me dá nojo. E o pior de sentir nojo desse mundo no qual vivo é não poder sequer me dar ao luxo de vomitar: alguém seria capaz de me pedir para limpar!
É isso mesmo, estou revoltado, Mas a culpa não é minha, é de um sistema que nos presenteia diariamente com doses de desesperança e realidade. Aliás, culpa. Vamos falar sobre ela… Há um bom tempo algumas psicologias de botequim, livros de auto-engano e papagaios da espécie humana que saem repetindo falas sem refletir, tentam te convencer de que você é o único responsável por tudo que lhe ocorrer, a culpa, dizem, será sempre sua. Isso seria verdade se cada um de nós vivesse isolado, em uma bolha de auto-suficiência, mas não, vivemos em sociedade, convivemos com o outro, com os outros. A nossa responsabilidade é administrar com maturidade e coragem o que fizerem conosco, incluindo o que nós mesmos nos proporcionamos, mas isso não isenta o outro da responsabilidade dele sobre nós.
Hoje, são feitas as perguntas erradas. Vou exagerar, mas como recurso retórico para ser compreendido (ou faltou à aula de farmacoterapia?). Se alguém leva um tiro as perguntas são: por que ele levou um tiro? mas por que ele não conferiu se essa pessoa não tinha uma arma antes de se aproximar dela? sabendo que estamos em um mundo tão violento, por que ele não andava 24 horas por dia com um colete à prova de balas? mas será que ele não mereceu levar um tiro? Poucos se lembram de buscar pela justiça, da punição do erro e da única pergunta que deveria ser feita: quem atirou já está preso?
A vítima hoje se tornou o vilão, ou pelo menos o culpado. Diante de toda injustiça e maldade alguns ainda querem te convencer de que você mereceu aquilo. Eu grito “NÃO!”. Alguém magoou seu coração? Querem te culpar por se permitir sofrer, querem te condenar por não ter o que eles julgam ser maturidade para lidar com a situação. Ninguém questiona o erro de quem te magoou, a imaturidade de quem causou dor em você, querem que você acredite que o erro, a culpa e a solução são responsabilidades suas e só suas. Se você reclama é dramático, histérico, exagerado, radical. O erro será apontado como sendo da reação, nunca como da ação que a provocou. É porque "é sua escolha sofrer", é porque "tinha que ser assim", são milhares de eufemismos e papéis de seda cobrindo um espelho, para evitar que eles vejam quem realmente são.
Estamos nos preocupando com as pessoas erradas, é essa a verdade. Não se preocupe com quem sempre parece a vitima, se preocupe com quem sempre parece o vilão. Não se preocupe com quem quer sempre ajudar os outros, se preocupe com quem sempre atrapalha. Não se preocupe com quem sempre chora de tristeza, se preocupe com quem sempre faz alguém chorar de tristeza. Não se preocupe com quem se emociona com tudo, se preocupe com quem não se emociona com nada, é para esses que você não vale nada, NADA.
O problema é que a humanidade pensou ter evoluído. Pseudo-intelectuais pensaram ter evoluído quando conseguiram nos convencer de que não existe pessoa perfeita. Eles estavam certos, não existem pessoas perfeitas, mas ainda existem pessoas boas e pessoas más. Não existe o perfeito, mas ainda existe o certo e o errado. O ideal é inalcançável, mas isso não significa que ele não deve ser buscado.
Melhor parar por aqui. Eu falo demais. Só acrescento que não perdi a esperança, mas perdi, por opção, a ilusão. Aprenda: esperança não é sinônimo de ilusão. Também não me tornei amarga, mas me permito a revolta, não a burra, a descolada da ação, mas a revolta necessária, a expressão do que me dói.
Mas, parei por hoje (repito, por hoje)! Pegue minha garantia e peça para trocarem alguma peça. Mas não se esqueça: se tirar minha fala, eu ainda escreverei, se tirar minha escrita, eu ainda pensarei, ainda lutarei pelo fim desse mundo sem sentido. Só não tire meu cérebro ou meus sentimentos. É que eu até aguento o mundo, mas não aguentaria ser você (não, não foi um elogio).



P.s:Queria entender alguns amigos,alguns que me restam....12:43hrs

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Pode ser que seja...

Talvez o amor não seja o que sonhei. Talvez o tempo não traga o que esperei. Talvez meu destino seja nunca ter. Talvez eu não seja a pessoa certa para você. Talvez eu também não seja a pessoa errada, e o nosso erro seja esse, só saber viver nos extremos. Talvez eu seja apenas esse vazio entre o que você quer e o que eu não posso ser. E de vazios ninguém vive. Vazios podem dolorosamente ocupar espaços, mas não preenchem almas que anseiam por um pouco mais. Ou talvez não seja nada disso. Talvez eu seja o amor da sua vida, mas não dessa vida. Talvez ainda haja magia, ainda haja verdade, e, por algum encanto, passe a tempestade e surja um arco-íris, trazendo o reconforto dos sonhos de criança. E talvez além do arco-íris, junto com um pote de ouro, exista um fim para tudo o que se sente sem não mais querer sentir. Talvez possa-se trocar toda a riqueza do tesouro por não se ter mais sentimentos, pensamentos, por alguém que não se pode alcançar. Talvez o prêmio para quem soube amar seja um dia não mais doer, todo amor que não era pra ser. Talvez.

"E, talvez, não seja assim tão fácil, talvez, assim seja melhor. E, talvez, cada um reme pra um lado, mas os mares que te cercam, talvez, sejam iguais aos meus e a gente segue em frente"



01/11/10


Estava pensando nessa frase:"Eu queria que nós pudessemos ser amigos.Engraçado.É a ultima coisa que eu quero"(House) e de repente me bate uma vontade louca de escrever tudo desabafar ja que não "tô" tendo coragem nem pegar no telefone,ta sendo complicado nao vou mentir,manter o celular o mais distante de mim.Ainda que em dias sem tempo quem sempre arranja tempo para aparecer é ela, a saudade. Em meio a corridas para cumprir horários, leituras dinâmicas para entregar tudo no prazo ela sempre chega trazendo a presença de dias que não voltam. A ciência avança e inventam solução para tudo ou quase tudo, mas ainda não tem um jeito de se voltar de fato ao passado e de se reviver nem que seja por um instante algum momento feliz. Eu trocaria qualquer dia do futuro por um minuto de novo ao lado de quem me rouba os pensamentos. Também não há nada que tenha sido inventado que nos faça viver no presente, estamos sempre presos em um tempo que não é o agora. Estamos no passado, na lembrança feliz, na tristeza ainda não superada ou esperançosos pelo futuro no qual tudo voltará a ser como no passado ou tudo será diferente do presente. Estamos até mesmo no futuro mais próximo aguardando o relógio marcar o fim do expediente para poder ser feliz na volta ao lar ou para aproveitar o fim de semana com os amigos. Nunca estamos no presente nem que seja desejando nunca esquecer o que se vive agora. Algumas vezes a gente queria mudar aquele momento em que tudo mudou, repetir aquele abraço, retribuir aquele beijo, dizer que amava e não sabia, dizer que sabia ou até dizer que amava e sabia, mas temia. Outro dia eu pedi que ele voltasse e durante mais um compromisso eu o vi de novo, à minha frente, lindo. Era ele, era eu, o tempo mesmo que por um instante o trouxe de volta. Mas aos nos olharmos, surpresos, mesmo que por segundos reconhecemos que a gente não mais se reconhecia. Era ele hoje, era eu hoje, e o que vivemos já estava no ontem, não éramos mais como antes e não adianta a gente voltar, pois o que havia não volta junto como que por mágica. O amor é como o sono em noite de insônia, se você não está atento e sonha junto no exato momento em que ele chega o tempo passa. Do mesmo jeito se você não está atento no momento em que alguém chega o tempo passa e te resta a solidão. Então se tem que aceitar que o lugar dos amores que não deram certo é na lembrança e não no futuro. Não na lembrança amarga das culpas e dos erros, mas na lembrança doce de quem te deu momentos felizes. E as lembranças acolhem o que chega ao fim no amor, pois o que termina no amor é o relacionamento e não o sentimento. A relação pode durar dias, meses ou anos e um dia acabar, mas o sentimento pode ser para sempre. Pode se continuar amando, mesmo sem mais ter, ver, ouvir, mas ainda se sentir. A lua minguante tímida intimida a confessar esse amor crescente que deixa a alma cheia de vontade de te ter na nova, nova vida que a gente teria se no céu alguma estrela cadente pudesse mesmo sonhos realizar. Então, lua, eu te digo que você estava sobre nós quando por segundos nós dois nos vimos de novo testemunhando que eu não mais vejo, não mais ouço, mas ainda sinto e amo, e no dia seguinte - e em todos os que se seguiram - chega a saudade, que tantas vezes é o sobrenome do amor, para me dar de volta o nosso tempo. Assim, confesso, sim, ainda quero você como o tempo não quer nada além de ser eterno. E eu sigo pensando em como seria se você estivesse aqui ou quem sabe se eu estivesse aí,mas as vezes eu penso em te chamar no msn,mandar alguma mensagem ou ate ligar pra dizer que foi especial que eu amei,mais ai cai logo a ficha que melhor deixar queto,devo nao estar fazendo bem mesmo,
melhor deixar o tempo andar e se precisar me procurar é Deus quem vai mandar.




Pensar que talvez se eu ainda guardasse em mim um pouco do que já fui,as coisas seriam quem sabe mais fáceis.Ou não. 01:35hrs