sábado, 13 de novembro de 2010

Cherish

Revirando os arquivos confusos e desconexos dessa minha mente canceriana, reafirmo a importância de todos os silêncios, sorrisos e semi abraços.
Sempre são belas as nossas tardes em bancos sombreados daquela praça onde as crianças brincam enlouquecidas debaixo do sol escaldante. Apesar de não saber lidar direito com a necessidade da presença desse outro, que chega ao limite do questionamento e foge por completo do que talvez Freud ou Lacan pudessem explicar, devo dizer que muito me faz bem perceber que consegui algum tipo de conexão, pode-se assim dizer, com o teu universo, que tanto me enriquece. Talvez aqui coubesse perfeitamente um agradecimento clichê, daqueles carregados de promessas e urgências. Mas fico apenas com a demonstração implícita e talvez nem tão sutil de todo o meu estima, carinho e afeto.
Obrigada.







Depois de uma bela tarde de sabado durmindoo muito,bate a vontade de escrever...19:12

Nenhum comentário:

Postar um comentário